VIGÍLIA PASCAL NA IGREJA SÃO JOSÉ

VIGÍLIA PASCAL: A MÃE DE TODAS AS VIGÍLIAS!

Na noite do dia 31 de março, a Igreja São José iniciou, às 20h, a Missa Solene da Vigília Pascal, a celebração mais importante do ano. Foi o momento crucial para fortalecer nossa fé e renovar nossa esperança. Nesse Sábado Santo nós comemoramos a Páscoa de Jesus, sua passagem da morte para a vida. Considerada “a mãe de todas as vigílias”, essa cerimônia se constituiu de quatro partes: a Celebração da Luz, a Liturgia da Palavra, a Liturgia Batismal e a Liturgia Eucarística. Nós fizemos a memória da história de nossa salvação e renovamos as promessas do nosso batismo nessa noite triunfante.

A Santa Missa foi presidida pelo padre Nelson Antonio, pároco da igreja, e concelebrada com os redentoristas: o padre José Augusto, o padre Ricardo, o padre Neves e o irmão Pedro. Ao chegar à igreja, a Pastoral da Acolhida entregou uma vela branca, símbolo da luz e da paz de Cristo, a cada participante da assembleia. Imediatamente, uma comentarista leu as intenções da missa.

CELEBRAÇÃO DA LUZ

Todos os fiéis foram convidados a se posicionarem em frente ao salão paroquial. Iniciou-se a celebração da luz nas escadarias do salão, onde já havia um altar e uma fogueira acesa. O padre Nelson fez a saudação inicial, enfatizou o sentido da vigília como o ápice do Tríduo Pascal. A celebração começou com a oração da benção do fogo para purificar nossas vidas. Logo, ele apresentou o Círio Pascal e fez suas incisões. Ele nos explicou o significado de cada movimento: Cristo Ontem e Hoje (haste vertical), Princípio e Fim (haste horizontal), Alfa (incisão superior à haste vertical), Ômega (incisão inferior à haste vertical), a Ele o tempo (número 2) e a Eternidade (número 0), a Glória e o Poder (número 1) pelos Séculos Sem Fim, Amém (número 8). Depois, o celebrante da cerimônia aplicou os cinco grãos do incenso em forma de uma cruz e nos disse: Por suas santas chagas, suas chagas gloriosas, o Cristo Senhor nos proteja e nos guarde. Amém. Nesse instante, um funcionário acende sua vela com o fogo novo e passa essa chama para acender o Círio Pascal, sustentado pelo pároco. Enquanto esse fogo é aceso o padre rezou: A luz de Cristo que ressuscita resplandecente dissipe as trevas de nosso coração e nossa mente.

As luzes da Igreja permaneceram apagadas até a proclamação da Páscoa (Exultet). A assembleia se encaminhou calmamente ao interior da igreja. A procissão do Círio Pascal se organizou em duplas no adro da paróquia. Os acólitos iam à frente da procissão levando um turíbulo. O Círio foi levado pelo padre Nelson, acompanhado dos padres redentoristas, dos membros da Liturgia, Eucaristia e Acólitos. Aproximou-se um dos momentos mais emocionantes da cerimônia com a entrada da procissão: o padre Nelson passou o fogo do Círio para acender as velas dos fiéis, que repetiram o mesmo gesto aos participantes. O ambiente foi iluminado gradativamente pelas velas acesas. Durante o percurso da procissão, o pároco ergueu o Círio aceso, cantou três vezes a aclamação: Eis a Luz de Cristo e a assembleia respondeu: Demos graças a Deus. O padre Nelson conduziu o Círio até o presbitério, onde foi colocado em um local preparado com uma belíssima ornamentação de flores.  Ele incensou o Círio e as velas do altar continuaram apagadas.

Então, houve a proclamação da Páscoa no ambão da Palavra, também ornamentado.  O canto Exultet, ressaltando a bela história do nosso Salvador, foi cantado alegre e alternadamente pelo padre Ricardo e pela cantora Luciana. Durante esse cântico, todos os fiéis levantaram suas velas acesas. Foi um momento brilhante da Vigília Pascal! Em seguida, apagaram-se todas as velas e as luzes da igreja começaram, pouco a pouco, a ser acesas. Toda a assembleia se sentou para acompanhar as leituras bíblicas.

LITURGIA DA PALAVRA

A Liturgia da Palavra começou com o padre Nelson exortando os fiéis. As três leituras foram extraídas do Antigo Testamento. Após cada leitura, teve uma oração e um salmo, que foram cantados maravilhosamente.

A Primeira Leitura (Gênesis 1, 1-2,2) mencionou as criações de Deus no mundo, destacando o homem e a mulher: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo a nossa semelhança…” e os abençoou lhes dizendo: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a!…”.

A Segunda Leitura (Gênesis 22,1-2. 9-13. 15-18) retratou a obediência de Abraão a Deus oferecendo o seu próprio filho como um sacrifício, semelhante ao grandioso gesto divino: “Não estendas a mão contra teu filho e não lhe faças nenhum mal! Agora sei que temes a Deus, pois não recusaste teu filho único”.

A Terceira Leitura (Êxodo 14, 15-15,1) abordou a saída do povo de Deus da escravidão do Egito. O Senhor disse a Moisés: “Estenda a mão sobre o mar, para que as águas se voltem contra os egípcios, seus carros e valeiros”. Foi a Primeira Páscoa!

Após escutar essas leituras, que retrataram nossa expectativa pela chegada de Jesus, a celebração prosseguiu animadamente com o Hino do Glória. Toda a comunidade exaltou a Deus por ter ressuscitado seu filho Jesus, o Messias. Nesse instante, os ministros iniciaram a arrumação do altar com a toalha da mesa e os enfeites de flores. Acenderam-se as velas do altar, tocaram-se o sino, as campainhas da igreja; o padre Ricardo entrou com a imagem de Jesus Cristo Ressuscitado, iluminado por duas lanternas e o turíbulo, levado pelos acólitos. Toda a assembleia participou desse belíssimo instante cantando e acenando seus folhetos.

Posteriormente, houve a Quarta Leitura da solenidade com a Carta de São Paulo aos Romanos 6,3-11 que destacou a importância da realização mística do batismo, um fruto da Paixão e Ressurreição de Cristo. O salmo 117 foi cantado entusiasticamente.

Logo houve a aclamação ao Evangelho através de um canto. O padre José Augusto incensou a Bíblia e proclamou a Palavra extraída de Marcos (16, 1-7). Em sua mensagem, o padre destacou a clareza dos acontecimentos históricos revelados pelas leituras do Antigo Testamento. No Evangelho, ele retratou o sábado como um dia para um descanso total e absoluto; o antigo costume de ungir os defuntos com óleos perfumados, que foi realizado pelas mulheres como um gesto de carinho a Jesus, para que ele permanecesse para sempre no sepulcro. O padre nos disse que Jesus lhes falou de sua Ressurreição. Tudo se eternizou na morte. A última palavra foi a vida nova. O padre salientou que a igreja é o grande sacramento da presença de Jesus no mundo, que nós vivemos esse mistério da Morte e Ressurreição do Senhor.

LITURGIA BATISMAL

A quarta parte da Vigília Pascal começou com a oração feita pelo padre Nelson, que se posicionou em frente à água, colocada no altar. Em seguida, a Igreja da terra reafirmou sua fé com a Ladainha de Todos os Santos, que foi cantada com esplendor por uma salmista, com a participação da assembleia. Então, o pároco abençoou a água batismal, introduziu o Círio Pascal por três vezes, nos conduziu a uma oração e sua aclamação. Ele enfatizou a presença de Cristo Ressuscitado no meio de nós, a união da luz e da água. Nesse instante, as velas dos fiéis foram acesas novamente com a ajuda dos acólitos. Toda a assembleia permaneceu de pé; a solenidade prosseguiu com a exortação aos fiéis, a renovação das promessas batismais. Imediatamente, o celebrante fez a aspersão do povo com a água benta no corredor central da igreja, em ambos os lados. O padre José Augusto e uma ministra fizeram a aspersão sobre os participantes nos corredores laterais.

LITURGIA EUCARÍSTICA

O presidente da celebração iniciou essa parte da Santa Missa com uma oração comunitária. Após esse instante, todas as velas foram apagadas novamente. Entoou-se um canto para a oração das oferendas.

Na oração eucarística, toda a igreja cantou glórias ao Senhor. Nos ritos da comunhão, os fiéis rezaram com fervor a oração do Pai-Nosso e na fração do pão, a equipe de música cantou o Cordeiro de Deus com toda a comunidade. A comunhão foi dada em duas espécies pelo padre e pelos ministros. Os fiéis participaram fervorosamente do canto de comunhão.

Após essa parte litúrgica, a Pastoral da Acolhida entregou um cartão de Páscoa à assembleia. O padre Nelson leu a mensagem pascal aos fiéis. Ele desejou a todos os votos de uma Feliz Páscoa em nome dos Redentoristas da Igreja São José. Nessa noite gloriosa nós celebramos exultante a Ressurreição de Jesus. O pároco prosseguiu com a oração pós-comunhão.

No final da celebração, o padre informou os avisos e fez um agradecimento a todos os grupos e pessoas que colaboraram com as cerimônias da Semana Santa na Paróquia. Houve a benção solene e os cumprimentos pascais entre os fiéis. Nessa noite emocionante e gloriosa, nossa paróquia celebrou solenemente a Ressurreição de Jesus!!!

Texto: Luciana (Pascom)

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa