Retiro Espiritual Betânia 2019

Casa de Retiro São José. Lugar aprazível, onde vingam a paz e a tranqüilidade. Edificado em meio a um belo jardim encravado no Bairro Dom Bosco, em Belo Horizonte. Tenda adequada para, tal qual descrita na Bíblia, falar com DEUS e, mais importante, ouvir DEUS.

A partir das 17h, os inscritos começaram a chegar. Padre Cláudio, Pároco da Igreja São José, acabara de chegar e já começara a receber, de braços abertos (física e espiritualmente) os felizes convidados ao encontro com a Palavra do Senhor.

Logo após, às 19h, já acomodados todos os participantes do evento, Pe. Cláudio recebe os convivas à porta do salão de refeições da Casa de Retiro. Acolhendo a todos, abre as portas do restaurante, convidando os presentes à oração, seguida de sua bênção.  Transpõem todos a porta e se servem na mesa de frios e quentes e se aninham nas mesas das refeições.  Comida simples, gostosa e saudável, como sempre.

Após o jantar e um intervalo de congraçamento, descanso e relaxamento nos caminhos de passeio nos jardins, Pe. Cláudio saúda todos na Capela, às 20:30h, conforme aprazado. Acomodados na Capela, Pe. Cláudio abre o retiro dizendo: “o caminho é colocar pé na estrada; estrada é o desafio. Nela se encontram coisa boa e coisa ruim. A participação do retiro depende da posição em que cada um se encontre, se toque”.  Entremeia suas palavras entoando canção à VIRGEM DO AMOR, seguida do canto “Te Amarei, Senhor. A paz e a alegria bem perto de Ti”.  A paz e a alegria, comenta, eu só encontro em Jesus.  Apontando para um grande candelabro que se encontrava à frente do altar, com sete velas de diferentes cores, o Pároco continua: acender as 7 velas significa o nosso caminhar na nossa vida, onde se precisa da luz. Em nossa casa, em nossa paróquia. Age em sua criação. Fala sobre o semeador, da parábola do Evangelho indagando: “que terreno somos para Jesus? Patagônia? Devemos cuidar uns dos outros.” Faz, em seguida, distribuir sementes de girassol. Um dos presentes encena a semeadura de sementes referida no Evangelho.

No chão, em  pequenos cenários,  se reproduzia, simbolicamente, o caminho árido, o solo pedregoso, o terreno espinhoso e o terreno fértil, referidos na Parábola. Representando o semeador, dos tempos bíblicos em sua roupagem e na simplicidade dos gestos, à medida que o Pe. Cláudio descrevia a cena, o figurante lançava naqueles espaços as sementes que carregava. Continuava o sacerdote pregando: nas três primeiras searas a semente não deram frutos, pelas próprias condições ecológicas do terreno. Somente na quarta, no solo fértil, produziram-se bons frutos. Em seguida, sugeriu que se comessem as sementes distribuídas: “são crocantes e alimentadoras”, disse.

Pe. Cláudio convida o Sr. Altamir Célio de Andrade, professor, escritor e  teólogo, estudioso da Santa Bíblia, simples e humilde de coração, carismático, como se veria no decorrer do retiro, ao desenvolver suas palestras.

Com uma oração, encerraram-se as atividades do primeiro dia do retiro.

No dia seguinte, após o café da manhã, todos se reuniram no salão de eventos. O Conferencista pediu fosse distribuído a cada um  pequeno envelope, no qual se continha um pequeno papel com o texto do Evangelho João, 6,1-14, em 14 linhas. Pediu, após a distribuição, que todos lessem, em voz alta com ele, o Evangelho.

Repetiu a leitura várias vezes. Após comentar e interpretar o que diz o Evangelho, pediu que cada um dos presentes colhesse do texto lido a palavra que mais se destacasse, segundo a percepção individual de cada participante. Ultrapassado algum tempo, pediu que cada uma dissesse em voz alta a palavra destacada. Em seguida, recomendou aos presentes se mantivessem todos concentrados em postura reflexiva, isoladamente e em lugar preferido, para meditar sobre o Evangelho sob escuta. Assim se fez.

Ao toque da sineta, retornaram ao salão as pessoas até ali dispersas.

Prosseguiu o Sr. Altamir em suas preleções sobre o Evangelho escolhido. Falou sobre cada frase do texto, explicando, muitas vezes, sobre o significado de cada palavra, num processo de aprofundamento do exame da mensagem escrita.

Após o intervalo para o café, continuou ministrando o retiro, e projetou em tela a pergunta: “Como posso viver melhor o que meditei e ajudar outra pessoa a fazer essa mesma experiência?” Pediu então que todos anotassem a questão e dividiu os presentes em 10 grupos, para discutirem uma resposta  ao tema. Assim foi feito. Terminado o prazo para isso concedido, deu-se o retorno de todos ao salão. O conferencista chamou à frente  representante de cada grupo para fazer uma rápida exposição da abordagem feita em grupo. Foram vários os enfoques abordados e explanados O conferencista fez então uma síntese do que foi dito. Encerraram-se os trabalhos do dia.

No último dia, celebrada a Santa Missa e café tomado, reuniram-se todos novamente no recinto do retiro, em prosseguimento à programação feita.  Ao longo de toda a manhã o Sr. Altamir proferiu seu entendimento sobre o conteúdo do Evangelho, com ênfase no texto distribuído. De impressionar-se a profundidade de cada texto do evangelho, do seu real significado, de quanto tudo o que foi escrito e consta da Bíblia é profundo e de significada importância para cada um de nós. A cada leitura, do mesmo texto, aprofunda-se o seu entendimento, a percepção nova da mensagem.  De admirar-se como um texto de 14 linhas pode ser objeto de tanta apreciação e meditação. Como um poço sem fundo.

No encerramento, Pe. Cláudio retoma a palavra para agradecer ao Sr. Altamir sua presença e suas falas no retiro. Como lembrança do Retiro Espiritual, a pedido do Pe. Cláudio, o Conferencista distribui a cada um dos presentes um Crucifixo Redentorista.

Padre Lucas Emanuel, Redentorista, promotor vocacional, explica o que contém a Cruz Redentorista:

“Nela não temos Cristo preso na cruz, porque ela é a Cruz da Redenção. Além da cruz, temos os instrumentos da Paixão, a lança, a esponja, os cravos, e ainda a representação do Monte Calvário, presentes no brasão redentorista. A pomba acima da cruz simboliza o Espírito Santo. No verso, temos a imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, devoção que acompanha a congregação desde que o Papa Pio IX a entregou aos redentoristas e pediu que a tornasse conhecida em todo o mundo”.

Conclusão do Retiro: enquanto orávamos, DEUS ouvia nossas preces. Também falou conosco. No nosso espírito ficou gravada a seguinte mensagem soprada pelo Espírito Santo em nossa alma: “Eu lhes deixo minhas palavras na BÍBLIA, que representa  minha VONTADE. Toda vez que as relerem, o Espírito descerá sobre vocês e lhes contemplará com mais luz.”

 

Evaldo José de Oliveira

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa