O SENTIDO DO DOMINGO DE RAMOS

A Semana Santa começa no domingo chamado de Ramos. O Domingo de Ramos é a festa litúrgica que celebra a entrada de Jesus Cristo na cidade de  Jerusalém. Nesse dia, são comuns procissões em que os fiéis levam ramos de oliveira ou palmeira, o que originou o nome da celebração. Na Igreja São José os fiéis poderão levar os Ramos para a tradicional bênção que irá acontecer no início de cada missa, 7h, 8h30, 10h, 16h, 17h30 e 19h. Nas celebrações de 11h30 e 19h os fiéis também poderão participar da tradicional Procissão de Ramos.

Segundo os Evangelhos, Jesus foi para Jerusalém para celebrar a Páscoa Judaica  com os discípulos Ele celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho – o símbolo da humildade – e foi aclamado pela multidão: “Hosana ao Filho de Davi!” Isto aconteceu alguns dias antes da sua Paixão, Morte e Ressurreição. A Páscoa Cristã celebra então a Ressurreição de Jesus Cristo.

Dessa forma, o Domingo de Ramos é o início da Semana Santa porque mistura os gritos de Hosanas com os Clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras. Os ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel, hosana nas alturas”.

Nos dias de hoje, os cristãos manifestam sua fé em Jesus, levando ramos à igreja para serem abençoados pelo sacerdote. Nessa benção, a Igreja pede a saúde do corpo e da alma dos que moram nas casas onde esses ramos serão guardados.

O significado dos Ramos

Os Ramos santos nos fazem lembrar batizados que somos, filhos de Deus, membros de Cristo, participantesda Igreja, defensores da fé católica, especialmente nestes tempos difíceis desvalorizada em que ela é e espezinhada.

Os Ramos sagrados que levamos para nossas casas após a Missa, lembram-nos que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, uma ardua luta contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

O sentido da Procissão de Ramos

O significado é mostrar essa peregrinação sobre a terra que cada cristão realiza a caminho da vida eterna com Deus. Ela nos recorda que somos apenas peregrinos neste mundo tão passageiro, tão transitório, que se gasta tão rápido. Ela nos mostra que a nossa pátria não é neste mundo mas na eternidade, que aqui nós vivemos apenas em um rápido exílio em demanda da casa do pai.

A Missa do domingo de Ramos traz a narrativa de São Lucas sobre a paixão de Jesus: sua angústia mortal no suor o Horto das Oliveiras, o sangue vertido com, Traiçoeiro o beijo de Judas, a prisão, os mau tratos nas mãos do soldados na Casa de Anas, Caifás; Iniquo seu julgamento diante de Pilatos, depois, diante de Herodes, sua Condenação, o povo um Vociferar “Crucifica-o, Crucifica-o”, como Bofetadas, como humilhações, o caminho percorrido até o Calvário, um Ajuda do Cirineu, o consolo das santas mulheres, o terrível madeiro da cruz, seu Diálogo com o bom ladrão, sua morte e sepultura.

A entrada “solene” de Jesus em Jerusalém foi um prelúdio de suas dores e humilhações. Aquela mesma multidão que o homenageou motivada por seus milagres, agora lhe vira as costas e muitos pedem a sua morte. Jesus que conhecia o coração dos homens não estava Iludido. Quanta falsidade nas atitudes de Pessoas Certas!

Quantas lições nos deixam o Domingo de Ramos!

O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o seu Reino de fato não é deste mundo. Que ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas veio para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar uma Paixão, passar pela morte para destruir uma morte; perder a vida para ganhá-la.

A muitos ele decepcionou; escorraçar Pilatos pensavam que ele fosse e reimplantar o reinado de Davi e Salomão em Israel, mas ele vem montado em um jumentinho frágil e pobre. Que Messias é este? Que libertador é este? É um farsante! É um enganador, merece a cruz por nos ter Iludido. Talvez Judas tenha Sido o grande decepcionado.

O domingo de Ramos ensina-nos que a luta de Cristo e da Igreja, e consequentemente também nossa, é uma luta contra a ganância, a violência, o desemprego, as drogas, o alcool Impera como disse Bento X e a todos os desafios da sociedade moderna.

O domingo de Ramos nos ensina que seguir o Cristo é renunciar a nós mesmos, morrer na terra como o grão de trigo para poder dar fruto, Enfrentar os dissabores e ofensas por causa do Evangelho do Senhor. Ele nos arranca das comodidades, das facilidades, para nos colocar diante Daquele que veio ao mundo para salvar este mundo.

 

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa