MISSA DO 2º DOMINGO DA PÁSCOA, DOMINGO DA DIVINA MISERICÓRDIA

Assumiu o estrado, ao lado direito do presbitério, a comentarista Eduarda, que leu as intenções da Santa Missa. Às 11h30, iniciou-se a tradicional procissão de entrada, a partir do pórtico da Igreja, tendo à frente dois lanterneiros e um portador do Crucifixo, acólito com banner de São José e outros carregando as imagens de “Divina Misericórdia”, do Santo Papa João Paulo II, e da Santa Ir. Faustina Kowalska, além de vários outros acólitos e Ministros da Eucaristia, finalizando o cortejo, o Celebrante da cerimônia, Padre José Cláudio Teixeira.

Postaram-se os participantes da procissão diante do altar. À direita do presbitério, foram colocadas sobre mesa ali disposta Estampa representando a figura de Jesus Cristo, símbolo da “Divina Misericórdia”, uma pequena imagem desse ícone, junto com as de “São João Paulo II” e de “Santa Faustina Kowalska”.

Pe. Cláudio iniciou, então, a  celebração da Missa, cantando o sinal da Cruz. Celebraram-se os Ritos Iniciais antes do início da Liturgia da Palavra. À Primeira Leitura (At 5, 12-16), feita por Andiara, seguiu-se o canto do Salmo Responsorial.  Em prosseguimento, Brenda fez a Segunda Leitura (Ap 1, 9-11a.12-13.17-19),  e logo após, na Aclamação ao Evangelho cantou-se “Eterna é a tua Misericórdia”.

Pe.  Cláudio dirigiu-se ao ambão da palavra, onde proclamaria o Evangelho (Jo, 19-31). Sugeriu fazer a leitura compartilhada com os fiéis. O Sacerdote leria os textos da Leitura e os fiéis os diálogos pertinentes neles embutidos. E assim se fez, de forma inovada a leitura do Santo Evangelho: mais participativo, mais compartilhado, com certeza mais assimilado pelos presentes.

O celebrante prosseguiu fazendo sua homilia, relevando sempre a Misericórdia Divina e enfatizou que “o Rosto mais Santo de Deus é o da Misericórdia”. Destacou igualmente as vezes que Cristo Ressuscitado, saudou seus discípulos dizendo “A paz esteja convosco”. A Divina Misericórdia proclama a paz e não a vingança por sua morte.  Reiterou por mais duas vezes “A Paz esteja convosco”, esta última já tendo Tomé presente, admoestando-o: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto”.  Misericórdia é compaixão, é piedade, é perdão, é extinção de culpa. É libertação, pois, de todos nós dos pecados cometidos. É a nossa esperança na reintegração ao reino de Deus.

Jesus concita-nos a sermos misericordiosos como o Pai: “Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso”, complementando “Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; dai, e vos será dado” (Mt, 6, 36-38).  Dom Walmor indica em artigo publicado a “Via da Misericórdia”, o caminho que devemos seguir para tornarmo-nos dignos da Sua Misericórdia. “Quando um coração é forjado pela misericórdia, torna-se base para uma mente límpida, orientada para a fraternidade solidária, repleta de uma luz que inspira a inteligência e a sabedoria, qualidades indispensáveis em qualquer momento da história.”  Acrescenta ainda: “Jesus é único e seus ensinamentos são a verdadeira sabedoria. Todos aproveitem a chance de fixar o olhar em Cristo, para percorrer com Ele a via da misericórdia.

Deu-se continuidade à celebração da Santa Missa, com a Profissão de Fé, rezando-se o Credo. Passou-se à Liturgia Eucarística, com o cântico das Oferendas, a Oração sobre as Oferendas e a Oração Eucarística (Consagração), momento de maior contemplação litúrgica, pois nela se dá a transformação do vinho em sangue de Cristo e da hóstia (pão da eucaristia) no Seu Corpo.

Ingressando no Rito da Comunhão, parte seguinte da Santa Missa, o Sacerdote rezou em conjunto com os fiéis  a oração PAI NOSSO, incentivando a todos a cumprimentarem-se uns aos outros dizendo: “Saudai-vos com um gesto de comunhão fraterna.” Foi feita a distribuição da Eucaristia nas duas espécies (hóstia molhada no vinho).

Depois das orações finais, rezou-se a AVE MARIA. Em seguida, o Celebrante convidou todas as crianças a se apresentarem diante o altar e levantando sua mão como que encobrindo suas cabeças, orou: “Derramai, Senhor, sobre elas o Teu Amor”.

Informou que no dia 1º de maio serão celebradas missas às 7h, 8h e 18h, e que no dia seguinte, quinta-feira, dia 02 de maio, terá início um novo projeto, o Terço das Mães que oram por seus filhos, convidando todas as mães interessadas a participarem do novo projeto.

Leu os Avisos finais e, fazendo o sinal da Cruz, abençoou todos os acompanhantes da Santa Missa, encerrando-a.

Evaldo José de Oliveira

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa