MISSA DE ABERTURA DO MÊS DA BÍBLIA

O dia 2 de setembro marcou o 22º. Domingo do Tempo Comum e a abertura do mês da Bíblia na Igreja de São José. Na Missa das 11h30, após a leitura das intenções, realizada pela comentarista Andiara, iniciou-se a procissão de entrada: algumas pessoas da comunidade levaram a cruz, as lanternas, o estandarte de São José e o banner do Dízimo; participaram ainda os Acólitos, os ministros da Eucaristia e o padre Nelson Antônio. O músico Leonardo animou os fieis com a canção “A Bíblia é a Palavra de Deus” durante o cortejo até o presbitério, que estava ornamentado com arranjos de flores brancas.

A celebração foi presidida pelo pároco da Igreja que trazia suas vestimentas na cor verde. Ele saudou com entusiasmo a assembleia e, em seguida, entoou o “Deus Trino”.

Na procissão da Palavra, alguns fieis fizeram uma fila ao longo do corredor central da igreja para acolher a entrada da Bíblia. Duas lanternas abrilhantaram esse cortejo, que teve a participação de uma pessoa levando o Livro Sagrado e, um casal que carregou a bandeira do Brasil. A comunidade cantou a música “Quero levar esta Bíblia” e, todos participaram com alegria desse lindo momento. O padre salientou a importância dos símbolos no presbitério representados pela Palavra de Deus, fonte de luz e sabedoria para guiar nossos caminhos e decisões. Além de citar também a Semana da Pátria, ele falou sobre o momento atual de crise política, econômica, social, moral e ética no país e fez seus rogos pelas eleições no Brasil. Houve instantes calorosos de aplausos dos fieis.

????????????????????????????????????

Na sequência da missa, foi lida a 1ª. Leitura (Dt 3, 1-2. 6-8) que  abordou a relevância de viver a Palavra em nosso cotidiano. A verdadeira religião nasceu do amor a Deus e de nossas ações, atitudes e escolhas que deveriam ser sempre coerentes com a Bíblia, fonte de amor, verdade e vida. Prosseguiu-se com o canto do Salmo 14 e a 2ª. Leitura (Tg 1, 17-18. 21b-22.27). Essa carta enfatizou a vontade do Pai de nós sermos ouvintes e praticantes da Palavra em nossa vida, nós termos os corações abertos para acolher e vivenciar os seus mandamentos no amor ao próximo.

Iluminado por duas lanternas, o padre Nelson se dirigiu ao ambão e fez a proclamação do Evangelho segundo Marcos (7,1-8.14-15.21-23). Em sua homilia, o padre mencionou a pertinência de leis e normas nas quatro leituras, a fim de nos orientar, estabelecer os critérios para nossa convivência social. As leis de Deus serão sempre para promover a vida, para transmitir o amor, o respeito, a caridade ao outro. Muitas vezes, as leis humanas perderam seus objetivos em organizar a sociedade e nos levaram a escravidão, a punições. O padre citou a rigidez, a severidade praticada pelos fariseus e doutores da lei em suas tradições humanas, pois eles não se preocupavam com o aspecto interior do coração, com os valores, a ética, a postura de vida. Eles tinham o costume de fazer o julgamento externo só pela aparência e Jesus se opôs a esse pensamento ao afirmar: “… o que torna impuro o homem não é o que entra nele vindo de fora, mas o que sai de dentro do coração humano, que saem as más intenções …”. O padre Nelson reforçou ainda a importância de ter uma disciplina na leitura diária da Bíblia, cuidar do nosso interior, dos nossos valores, de ter um tempo para se dedicar a um serviço voluntário, a praticar a generosidade, a bondade, a solidariedade.

A profissão de fé foi rezada em dois coros com a participação dos fieis. No momento das oferendas, a comunidade entoou “A liberdade haverá”. O padre Nelson rezou a oração sobre as oferendas e imediatamente, iniciou-se a oração eucarística VI-D. “Santo, Deus do Universo” foi o cântico de glórias ao Senhor e os refrãos foram cantados pela assembleia.

????????????????????????????????????

Seguiu-se a celebração com o rito da comunhão. O padre Nelson conduziu todos a rezar o Pai-Nosso de mãos dadas, seguido da oração pela Paz. O músico animou os fieis com a canção “Paz de Cristo” e houve a saudação entre todos. Na fração do pão, cantou-se o “Cordeiro de Deus”, a comunhão foi dada em duas espécies pelo padre e ministros, auxiliados pela Pastoral da Acolhida.  Nesse momento, “Feliz é o homem que ama o Senhor” foi cantado pela assembleia.

No final da missa, o padre fez a oração pós-comunhão. Antes da benção aos fieis, ele deu os avisos à assembleia. Posteriormente, o padre Nelson agradeceu a presença dos fieis; a contribuição dos acólitos, do cantor, dos ministros da Eucaristia e Liturgia, do sacristão, do segurança, das Pastorais da Comunicação, da Acolhida e do Dízimo, e o apoio nas barraquinhas da JUMIRE, representada pela Juventude da Palavra, Juventude do Santíssimo Redentor e Pastoral da Juventude Redentorista. Logo, o pároco deu uma benção especial ao pãozinho e às uvas distribuídos às crianças, que rezaram a oração do “Santo Anjo do Senhor”.

Por fim, o padre Nelson conduziu todos a rezar uma Ave-Maria em intenção dos falecidos e dos aniversariantes dizimistas da igreja. Finalizou-se esse domingo festivo com a benção final aos fieis.

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa