MISSA DA VIGÍLIA DE NATAL: NASCEU PARA NÓS UM SALVADOR

No dia 24 de dezembro, segunda-feira, às 19h50, repicaram os sinos da Igreja São José, fazendo vibrar no ar sonoridade, como convite aos fiéis para que se aproximassem e se acomodassem no interior do tempo de Deus, onde seria celebrada a Missa de Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. Como num passe de mágica, a nave se encheu de fiéis, de todas as idades: crianças, adolescentes, jovens, senhoras e senhores, idosos (as) e anciãos (ãs), todos armados do espírito contido no canto de entrada: “Vinde cristãos”.

Foi distribuído aos fiéis o calendário de mesa São José para o ano de 2019, com fotos antigas e novas do templo, inclusive das etapas recentes de sua restauração, restabelecendo a decoração pictórica inicial. As luzes são reduzidas ao mínimo, simbolizando a escuridão que reinava no meio dos homens, antes do surgimento da Luz Divina, o Menino Jesus.

A solenidade foi presidida pelo pároco da Igreja, Pe. Nelson Antonio Linhares, tendo como concelebrantes: Pe. Flávio Leonardo Santos Campos, Pe. Gabriel Teixeira Neves Filho, Pe. José Augusto da Silva, Pe. Mauro Carvalhais de Oliveira, Pe. Ronaldo Divino de Oliveira, Irmão Domingos, que participaram da procissão introdutória, enquanto aguardavam no presbitério o Pe. Alberto Ferreira Lima e o irmão Pedro Aniceto da Silva, por dificuldade de locomoção.

A documentação fotográfica de toda a cerimônia foi trabalho de Alessandra, da PASCOM. Estiveram presentes à cerimônia o Sr. José Carlos, Tânia, Mary e Joselito, respectivamente irmão, irmã, cunhado e amigo do Pároco; esses três últimos compondo o tríduo de músicos que abrilhantaram a solenidade. Destacaram-se ainda os buquês de flores que ornamentavam o altar principal e os dois laterais da Igreja: flores coloridas, de enlevada contemplação, representando a natureza no templo sagrado. No altar à direita, se montou o presépio reproduzindo cena primeira do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo: presépio, lugar simples, onde se recolhia o gado; a manjedoura, onde se colocava o alimento dos animais. Não havendo outro lugar onde ficar, por faltar lugar nas hospedarias, ali, naquele rude lugar, se recolheram Maria e José, itinerantes a cumprir o dever do recenseamento obrigatório.

Leny, da Pastoral da Liturgia, realizou o apregoamento de praxe, após o que os figurantes (sacerdotes, ministros da eucaristia, acólitos) percorrem em procissão do portal da igreja ao presbitério, entoando-se canção própria do tempo.

Pe. Flávio, em sua homilia, recita as Calendas de Natal: uma espécie de relato cronológico dos principais eventos desde a criação até o Nascimento de Jesus Cristo. Entoou-se em seguida a música Cálix Bento.

Após o Cântico inicial e a Antífona de Entrada, Pe. Nelson saúda a todos os presentes cantando “Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Seguiu-se o Ato Penitencial e cantou-se Kyrie Eleison, seguido do  hino de louvor “Glória a Deus nas alturas”.

Cleiton, da Pastoral da Liturgia, lê a Primeira Leitura do Livro do Profeta Isaías, que enaltece a luz resplandecente que afasta a escuridão e veio trazer a alegria, e o aumento da felicidade aos povos, eis que foi nos dado o filho de Deus, Príncipe da Paz e de um novo reino, em justiça e santidade, a partir de então e para sempre.

Blenda entoou Salmo Responsorial, que é parte integrante da liturgia da Palavra e ajuda a meditar sobre a Palavra de Deus, e respondido por todos presentes.

Fez-se  a Segunda Leitura de São Paulo a Tito. O Apóstolo nos fala da graça de Deus manifestada pela salvação, destacando os ensinamentos no sentido do abandono da impiedade e paixões humanas, concitando-nos a viver com equilíbrio, justiça e piedade.

Pe. José Augusto portando o turíbulo, dirigiu-se ao ambão, incensando o Livro contendo o Evangelho, acompanhado de dois acólitos portando lanternas.

Forte chuva cai no momento. Cantou-se o tradicional “NOITE FELIZ”, quando todas as luzes se acendem na Igreja. Batem os sinos. Ambiente de muita alegria e paz. Adentra pelo corredor central da Igreja, um casal carregando imagem do Menino Jesus.  Acompanham-no inúmeras crianças, de variadas idades. A jovem senhora torna evidente a sua condição de mulher grávida, prestes a dar à luz, simbolizando pertinentemente a imagem de Nossa Senhora grávida do Menino Jesus. Dirige-se essa procissão ao presépio, armado no altar à direita. Pe. Ronaldo reza oração. Sob vivos aplausos, o casal coloca a imagem do Menino Jesus na manjedoura.

Cantou-se em seguida o hino “Glória a Deus nas Alturas”. Irmão Pedro acende o Círio Pascal (vela branca que representa a Luz de Cristo).

Irmão Domingos faz sua homilia. “Noite de Luzes”, disse ele, “põe em relevo o sentido do Natal. Na escuridão da sombra da morte a luz apareceu”. Falou sobre a esperança, ressaltando que Deus é fiel, cumpridor de promessa. Deus veio em socorro dos pequenos, representados pela figura dos pastores. Enalteceu  a sua aparência de criança, manifestada por Deus. Ensinou que a vida deve ser mais simples e cita Santo Afonso que disse: “Celebrar o Natal é, antes de tudo, deixar-se integrar pelo amor. Todos os nossos esforços devem ser amando a Jesus”. Essa criança que nasce no nosso coração precisa crescer. Só assim podemos ter na sociedade a esperança dos pais, da salvação. Que o Menino Deus peça morada e cresça no nosso coração. Deixar-se contagiar com esse amor.

Com a Profissão de fé, rezou-se o Credo. Os fiéis cantam “Ó vinde adoremos”, enquanto o Pe. Nelson incensa o altar, dirigindo-se em seguida ao presépio, que também foi incensado. No retorno, o celebrante é incensado pelo acólito em, voltando-se para a nave central, incensa os fiéis.

Em seguida, Pe. Nelson celebra então a Eucaristia e o pronunciamento as palavras do rito transforma o pão em corpo e o vinho em sangue de Jesus.

Entoou-se “Cordeiro de Deus”, seguido no Cântico  da Comunhão, a música “Da cepa brotou a rama”.

Distribuiu-se a comunhão a centenas de comensais, quando Deus se faz presente dentro de nós, como alimento de nossa alma.

Pe. Nelson convida a todos a rezarem a AVE MARIA pedindo bênção para todos os concelebrantes, acólitos e membros das pastorais e para todos os fiéis presentes.

Logo após, o celebrante lembra que à sua frente encontra-se a caixa onde podem ser colocados os pedidos de graças dos fiéis. Lembrou também o momento da inscrição para o sacramento da Crisma e para crianças a partir de 5 anos de idade. Disse ainda estar à disposição dos fiéis carnê de São José é 10, cuja arrecadação se destina ao término das obras em vigor.

Pe. Ronaldo faz uma pequena preleção, com a promessa de que em 2019 seremos melhor acolhendo Jesus. Disse ainda, que a Igreja de São José é acolhedora no centro de BH, “um pedacinho do céu”. E cantou “Hei irmão, vamos seguir com fé tudo o que ensinou o homem de Nazareth”.

Pe. Nelson faz menção carinhosa a todos os religiosos presentes à missa, padres e irmãos, enaltecendo as características de cada um. Agradece a todos das pastorais e, para encerrar dá a bênção final.

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa