IGREJA SÃO JOSÉ TEM ALMA FEMININA

Louras, morenas, negras e ruivas. Altas, baixas, jovens, maduras e idosas. Donas de casa, aposentadas, diaristas, estudantes, médicas, engenheiras, dentistas, professoras, advogadas, fonoaudiólogas, jornalistas, bancárias, contadoras, psicólogas e comerciárias. Brasileiras, africanas, suíças, russas, norte americanas, iraquianas, belgas, francesas, argentinas e chinesas. Católicas ou não. Não importa a idade, a raça, a religião, a profissão ou a nacionalidade.

O Dia 8 de março é o dia de todas as mulheres. Em muitos países a data é lembrada com eventos de comemoração, revindicações e até protestos. Para lembrar e homenagear as mulheres, a Paróquia São José vai celebrar missas festivas às 7h, 8h, 18h e 19h com oração e bênção especial, além de uma reflexão sobre o papel da mulher cristã no mundo de hoje. Como 5ª feira também é o Dia das Quintas de Adoração, às 12h  será  também um momento para  agradecer pela vida das mulheres que estiverem presentes nas celebrações e por todas que doam seu tempo ajudando na dinamização da São José. Lá estão elas louvando, animando, rezando, intercedendo, enfim servindo.

De acordo com o Pe. Nelson Antonio Linhares, pároco da Igreja São José, é uma data para se  valorizar e reconhecer a transformação do papel das mulheres na sociedade e a importância delas na Igreja onde participam  ou estão a frente de grupos e pastorais. “A data é uma ocasião propícia para valorizar a presença da mulher na Igrmontagem dentro da matériaeja, ajudando-a a cultivar valores que possam despertar a consciência para o compromisso da fé e a responsabilidade da mulher na construção da PAZ!”, enfatizou.

Mas a Mulher ainda precisa enfrentar muitos desafios.  Infelizmente,  no mercado de trabalho ainda existem entre homens e mulheres diferenças gritantes . Na saúde, o câncer de mama e colo de útero, gravidez precoce e doenças sexualmente transmissíveis são os principais males que vem causando danos à saúde da brasileira. Chama a atenção ainda os números alarmantes de violência, já que uma em cada três mulheres no mundo já sofreu abuso sexual e o Brasil está entre os cinco países do mundo onde se mata mais mulheres.

A MULHER NA SOCIEDADE

Com a entrada do século XXI, elas representam mais de 50% da mão de obra em alguns segmentos  profissionais, ganham e decidem não apenas os  produtos para o próprio consumo, como também para toda a família. Do carro ao apartamento, mais de 90% das compras são decididas pelo dito sexo frágil. De acordo, com o DIEESE, as mulheres correspondem hoje a 41% da população economicamente ativa no Brasil e mais de ¼ das famílias são chefiadas por elas.  Com o maior nível de instrução que os homens, images (6)ocupam em maior percentual cargos com menor remuneração.

Uma outra pesquisa realizada pelo Grupo Catho,  junto a 9.174 executivos, mostra que em média as mulheres ganham 10,3% menos que o homem, no mesmo cargo e em empresas do mesmo tamanho. No ano passado, a pesquisa mostrava uma diferença de 17%. Atualmente, a mesma pesquisa foi realizada e a diferença foi para 3%. A explicação é que a mulher é promovida em média em idade menor que o homem. O que mostra que está avançando de maneira galopante no mercado de trabalho. Ela já representa 13,8% dos  executivos de primeira linha e 19,7% dos diretores. Mesmo assim , em quase todos os países do mundo, mulheres trabalham mais horas que os homens e ganham menos do que eles; dos 30 empregos mais bem pagos no mundo, 26 são dominados por homens.

SAÚDE DmulherA MULHER

No Brasil, são muitos os problemas que as  mulheres ainda enfrentam. Um dos grandes vilões é a saúde. Câncer de mama e colo de útero, gravidez precoce e doenças sexualmente transmissíveis são os principais males que vem causando danos à saúde da brasileira.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, no  Brasil, o câncer de mama é o que mais causa mortes entre as mulheres. Segundo o Inca, em 2016, foram registradas 9.004 mortes decorrentes deste tipo de câncer, sendo que mais da metade dos óbitos (5.834)  ocorreram em mulheres na faixa etária dos 40 aos 69 anos de idade. Dos 402.190 novos casos de câncer com  previsão de serem diagnosticados em 2017, o câncer de mama foi o segundo mais incidente entre a população feminina, sendo responsável por 41.610  novos casos e 9.335 óbitos.

MEROS DA VIOLÊNCIA

Agressões físicas e psicológicas são as principais formas de violência contra mulheres

Do total de atendimentos realizados pelo Ligue 180 – a Central de Atendimento à Mulher no 2º semestre de 2016, 12,23% (67.962) corresponderam a relatos de violência. Entre esses relatos, 51,06% corresponderam à violência física; 31,10%, violência psicológica; 6,51%, violência moral; 4,86%, cárcere privado; 4,30%, violência sexual; 1,93%, violência patrimonial; e 0,24%, tráfico de pessoas.

3 em cada 5 mulheres jovens já sofreram violência em relacionamentos, aponta pesquisa  apoiada pela Campanha Compromisso e Atitude, em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República.  Revela ainda que 98% da população brasileira já ouviu falar na Lei Maria da Penha e 70% consideram que a mulher sofre mais violência dentro de casa do que em espaços públicos no Brasil.

Em Minas Gerais a cada dia 2347 mulheres foram vítimas da violência

Levantamento foi divulgado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e inclui dados de diferentes tipos de agressões, entre sexual, física, patrimonial, moral e psicológica
Mulher 3Minas Gerais registrou no ano passado 347 ocorrências de violência contra a mulher por dia somando as agressões contabilizadas pelos 853 municípios do estado. Foram 126.710 fatos levados ao conhecimento das autoridades, incluindo cinco diferentes tipos de violência: física, psicológica, patrimonial, moral e sexual. Se comparados com anos anteriores, os números estão diminuindo, mas mesmo assim ainda representam muitos registros que não param de chegar às delegacias mineiras. Em 2015, por exemplo, foram 129.391 casos. Em 2014, o número chegou a 131.808 agressões.
Belo Horizonte responde por 11,80% da violência contra a mulher em Minas erais. Em 2016, de todos as mais de 126 mil ocorrências no estado, 14.960 foram registradas em BH, o que dá uma média de 40 casos todos os dias. Todos os dados estão em um diagnóstico divulgado nesta quarta-feira pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) sobre violência doméstica e familiar em Minas Gerais.
Entre os tipos de violência física entram lesão corporal, homicídio, tortura e vias de fato/agressão. Já o grupo dos casos de violência psicológica inclui abandono material, ameaça, atrito verbal, constrangimento ilegal, maus tratos, perturbação do traMulherbalho ou do sossego alheio, sequestro e cárcere privado e violação de domicílio.

No quesito violência sexual estão incluídos boletins de ocorrência de assédio sexual, estupro, estupro de vulnerável, importunação ofensiva ao pudor e outras infrações contra a dignidade sexual e a família.

Já no grupo da violência patrimonial estão incluídos os roubos, danos, estelionato, extorsão, extorsão mediante sequestro, furto e as apropriações indébitas cometidas contra as mulheres. Por fim, a violência moral engloba calúnia, difamação e injúria, todas elas praticada.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER E  A  ORIGEM

Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis  de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve,  ocupando aimages (9) fábrica, para reivindicarem a redução de  um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres  morreram queimadas. Em 1910, numa conferência  internacional de mulheres realizada na Dinamarca,  foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como “Dia Internacional da Mulher”. De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em  Portugal como no resto do mundo.

interna_dia_internacional_da_mulher(1)

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa