9º DIA DA NOVENA A SÃO JOSÉ – 18/03/2018

9º DIA DA NOVENA A SÃO JOSÉ – 18/03/2018

 

NOVENA

No 5º domingo da Quaresma, dia 18 de março, celebramos o 9º. dia da novena a São José. Às 11h, com a coordenação do Padre Nelson Antônio, iniciou-se a oração com o tema: “Cultivar uma espiritualidade encarnada”, contando com a participação das pastorais dos Acólitos e da Catequese da Crisma. Com a participação de muitos paroquianos, Padre Nelson abordou a importância da realização da novena como um momento especial de graças, bênçãos para toda a paróquia e uma homenagem ao nosso padroeiro. A equipe de música da igreja animou os fiéis cantando o hino a São José e em seguida, houve o anúncio, a proclamação e a meditação da Palavra.

Neste último dia da novena a São José, o padre ressaltou que a nossa espiritualidade deve unir a vida de oração com o compromisso de cada leigo e leiga em praticar o perdão, a fraternidade, a misericórdia, testemunhando Jesus Cristo no mundo de hoje. Após viver e rezar a Palavra, o padre encerrou a novena com a oração final para todos os dias. Nesse momento, os fiéis reforçaram os seus rogos ao padroeiro das famílias, direcionando seus olhares à imagem do padroeiro, que ganhou um altar especial na Igreja, pedindo a intercessão e as súplicas para as suas vidas.

MISSA

A celebração da Santa Missa iniciou-se às 11h30 e foi presidida também pelo pároco da Igreja. Participaram da procissão de entrada o Padre Nelson, a equipe de acólitos, de ministros da eucaristia de membros da liturgia, que levaram as duas lanternas, a cruz com a estola roxa e o estandarte de São José. Todos os fiéis cantaram com entusiasmo um hino ao Santo padroeiro. O sacerdote começou a missa invocando a Santíssima Trindade, cantada por toda a igreja. Salientou que a Quaresma é um tempo em que nós vivemos para uma profunda conversão e, também, a preparação para a Festa de São José. Depois da invocação do Espírito Santo, rezada por todos, houve um canto de louvor a essa força renovadora de Deus em nossas vidas.

Na Primeira Leitura, Deus nos enviou a mensagem do seu desejo de fazer uma nova aliança, que será interiorizada em cada coração: “… serei seu Deus e eles serão meu povo”. (Jeremias 31, 31-34). Imediatamente, toda a igreja escutou o canto do salmo 50. Na Segunda Leitura da Carta aos Hebreus (5, 7-9), o padre destacou o versículo: …”Mesmo sendo Filho, aprendeu o que significa a obediência a Deus por aquilo que ele sofreu” e acentuou o compromisso de cada discípulo (a) missionário (a) de viver a Palavra, de ser fiel e obediente a Deus, dar o testemunho do seu Reino.

Posteriormente a um canto de aclamação, foi proclamado o Santo Evangelho. Padre Nelson refletiu, então, que a cada missa Deus quer renovar a aliança conosco, fortalecendo a nossa fé, transformando a nossa consciência para viver a Sua Palavra. Ele reforçou a missão de cada leigo e leiga na sociedade, vivendo uma espiritualidade encarnada, praticando tudo aquilo que vivenciou na Igreja, dando o testemunho dos valores de Deus em nossas relações.

Assim como os gregos, considerados pagãos, queriam ver, conhecer, ter uma intimidade com Jesus, nós vivemos essa vontade pela nossa fé, nossa religião através da vida em oração, da Palavra, da hóstia consagrada, da caridade. O padre comentou o símbolo da semente citado no Evangelho de João (12, 20-33): “ se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo, mas, se morre, então produz muito fruto”, que precisa ser transformada, deixar morrer para ter uma vida nova, ou seja; nós precisamos deixar “morrer” o egoísmo, o comodismo, a indiferença, enfim, tudo o que não condiz com os ensinamentos de Deus. É preciso ter a coragem para “morrer” o que nos afasta da luz, da vida; só tem vida nova quem tem a coragem de morrer. Somos os servos de Jesus, o servo pensa em si e no outro, ele pratica o amor, a justiça, a caridade.

Padre Nelson evidenciou a figura de São José, um homem que acolheu a Palavra, levou uma vida exemplar, é uma referência para cada cristão. Ele fez             “morrer” os seus projetos, os seus desejos para realizar a Vontade de Deus, como pai adotivo de Jesus e esposo de Maria; contribuindo com fidelidade, obediência aos desígnios divinos para a salvação da humanidade.

Em seguida, rezando o Ato penitencial, houve aspersão da água benta sobre os leigos, as leigas de toda a igreja, como um sinal de renovação do batismo e da aliança com Deus. A profissão de fé foi habitualmente rezado em dois coros. Na oração comunitária, houve as preces específicas para a Festa de São José, lhe suplicando os rogos para toda a paróquia.

Durante a comunhão, distribuída em duas espécies, a Pastoral da Acolhida e os ministros da Eucaristia auxiliaram o padre, e a equipe de música animou a celebração com dois cânticos referentes a São José. Ele rezou a oração pós-comunhão seguida de uma Ave-Maria pela intenção dos falecidos, dos aniversariantes dizimistas da igreja.

No final, seguiu-se a oração a São José com a participação de todos os fiéis. O padre anunciou os avisos à comunidade. Por fim, o pároco deu uma benção especial ao pãozinho e às uvas distribuídos às crianças que ainda não fizeram a primeira comunhão, que rezaram a oração do Santo Anjo.

Toda a comunidade foi convidada para participar das barraquinhas após a Missa e assistir a uma apresentação musical do padre Nelson com o Silvano Havanz. Assim, nós encerramos a novena ao nosso patrono. Valei-nos São José!!!

 

 

 

 

 

 

Horário das Missas
  • SEG
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • TER
    • 7:00
  • QUA
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • QUI
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SEX
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
    • 19:00
  • SAB
    • 7:00
    • 8:00
    • 18:00
  • DOM
    • 7:00
    • 8:30 *
    • 10:00 ***
    • 11:30
    • 16:00
    • 17:30
    • 19:00 **

* Missas de Catequese

** Missa de Jovem

*** Missa da Família

Veja a programação completa